quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Pessoas são presentes

Acho que as pessoas são como presentes. Primeiro vemos o embrulho, que pode ser feio ou bonito, depende do gosto. Há os grandes, os pequenos, os médios, de diversas formas. À medida que vamos nos conhecendo, despimos os embrulhos pouco a pouco. Alguns são melhores que esperávamos, outros nos decepcionam e ainda existem aqueles na medida do que esperávamos.
Nós, seres humanos, temos a capacidade de nos doarmos. E o nosso valor, quem dá somos nós mesmos. Alguns se comportam como presentes de plástico, desses encontrados em qualquer loja de 1,99. Dão-se a qualquer um, se prestam a sentimentos tortos, palavras torpes e emoções desencontradas.
Alguns ainda são feitos de massa de modelar. Poupam-se de pensar, se transformam dependendo da ocasião e seguem sempre pelas mãos dos outros. Há presentes feitos de madeira. São duros, não se modificam por nada e acham que estão sempre certos.
Existem muitos presentes por aí, com capacidade de se doarem ou não. Presentes que vem e ficam, outros e simplesmente passam por nossas vidas. Às vezes sabemos reconhecê-los e outras vezes, os machucamos sem entendê-los. Mas, de todos os presentes, os que mais gosto são as jóias raras. São aquelas pessoas lapidadas pelo tempo, que se dão valores altíssimos e que sabem exatamente a que vieram e o quanto são boas (sem deixar que isso lhes suba a cabeça). Têm brilho raro e beleza ímpar, conseguem ser melhores que a embalagem.


Textos e imagens desse blog só podem ser publicados e/ou utilizados em outros locais com autorização da autora.

3 comentários:

Leticia disse...

Excelente comparação!

É uma pena que jóias raras estejam escassas.
Achei seu blog em minhas navegadas pela internet ... com certeza voltarei!
Parabéns!

Abraços

Letícia Santana
leticiajornalismo8@hotmail.com

Maianí Tupi disse...

Gostei muito do texto!!! E as jóias raras que encontramos ficam bem guardadas lá no fundo do coração. Beijos

Tereza Cristina disse...

Minha querida, você é um presente de carne e osso! De verdade...