terça-feira, 30 de dezembro de 2008

A loja de biografias

Um amigo me contou, e jurou que era verdade, que em sua última viagem a Bolívia encontrou uma loja de biografias. É isso mesmo, eles vendiam biografias. Mas não dessas feitas contando o que já passou na vida das pessoas. Essas eram escritas sobre o futuro.
Ele me disse que a loja era até muito freqüentada. E que no fim de ano, quando as pessoas repensam tudo o que se passou para planejar o próximo ano, a loja fervia de gente. Ele jurou que viu até uma fila na porta. Gente com imensos livros à espera de alguém que lhes escrevesse a biografia.
Parece que funcionava assim: biografias escritas com calma, pensadas e planejadas podiam ser bimestrais ou semestrais. Havia uns mais afoitos que queriam escrever a vida toda de uma única vez. Outros, uma turma ali do meio, preferia escrever de ano em ano.
Dizem que o dono da loja aprendeu essa magia com os índios e depois de anos de estudo a transformou em ciência com patente e tudo. Um jeito fácil para ajudar quem não sabe o que quer da vida ou então, apenas dar uma mãozinha aos mais prevenidos.
Ah, já ia me esquecendo. Meu amigo disse também que o que era escrito acontecia. A vida seguia à risca o que estava na biografia. Assim, mocinhas que sonhavam com um grande amor pediam para que fosse escrito nos livros como iriam encontrá-lo meio sem querer numa paisagem linda, num dia ensolarado, no dia em que ele ia se apaixonar perdidamente (e à primeira vista) por ela.
Outras pessoas queriam mesmo é ficar ricas. Daí, bolavam jeitos e jeitos para isso. Algumas ganhavam na loteria, havia aquelas que recebiam heranças distantes e perdidas de parentes que nem conheciam e outras pediam para trabalhar um pouquinho em algo rentável, que é pra dar mais valor ao dinheiro.
Diz até que uns depressivos pediam para ter coragem de suicidar. Doentes pediam curas. E os maltratados pelo coração queriam mesmo era dar uma lição em quem os havia deixado.
Agora meu amigo está pensando em abrir uma franquia da loja num shopping aqui da cidade. Será que a moda pega aqui também?
A propósito, Feliz Ano Novo! Vê se escreve sua vida direitinho no ano que vem!

Textos e imagens desse blog só podem ser publicados e/ou utilizados em outros locais com autorização da autora.

3 comentários:

Renatim Pirei disse...

ahahahhahahahahahahahah!! muito bom!! será que dá dinheiro uma loja dessas? Olha que dá viu?!

Adorei o texto. Parabéns.
beijos

Maianí Tupi disse...

Deve dar sim. Vamos abrir uma em sociedade??? Beijos

KK disse...

Para escrever a minha biografia de 2009 vou contratar a Mayara... Certeza que será linda!

bjs